28 de novembro de 2010

Crônicas

Momentos mágicos e memoráveis.
Histórias saudosas e nostálgicas.

Existe no jornalismo uma separação e definição para nossa produção de textos.
Jornalismo investigativo x literáro, crônica x contos... e analisando a quantidade de meus textos aqui postados, a maioria está se encaixando entre outros tantos estilos, crônicas e contos.
Resgato essa questão uma vez que, acho, segundo ano na faculdade de Jornalismo, ao elaborar um texto, classifiquei-o como crônica.
Entreguei ao professor e, mesmo sem ler uma linha, meu mestre riscou de fora a fora desenhando um enorme "X" e disse como se estivesse pedindo dois pães com café: "crônica não é".
Completou: "Para ser crônica você precisa ter no mínimo quarenta anos de vivências e histórias"...
Ele tinha razão. Aliás, meus mestres eram sempre as têm. Duros e claros.
Pensei nisso esses dias. Será que já fiquei velho e não descobri que posso escrever crônicas?
Ok professor, acho que estou (quase) na fase transitória...
Mas um dia chego lá!

Nenhum comentário: